Sala de Leitura

Apresentação

O projeto Sala de Leitura é uma iniciativa sociocultural do Instituto Oldemburg de Desenvolvimento que, desde 2003, instala bibliotecas comunitárias com um acervo de 1.000 livros não didáticos em escolas públicas, sedes de associações de moradores, hospitais públicos, unidades do sistema prisional e outras entidades públicas e sem fins lucrativos.

A curadoria do acervo seleciona títulos de temas diversificados, tais como Literatura Brasileira, Literatura Estrangeira, Literatura Infantil, Literatura Infantojuvenil, Poesia, Biografia, Tecnologias e Ciências Aplicadas, História, Filosofia, Psicologia, Sustentabilidade e Meio Ambiente, Ciências Sociais, e Artes procurando atender aos interesses distintos do público, formando novos leitores.

Em cada biblioteca comunitária, são capacitados Agentes de Leitura para fazer a gestão do espaço, que é aberto à comunidade em geral. Os Agentes também são capacitados a desenvolver atividades literárias e culturais capazes de atrair novos leitores para a biblioteca. Nos 16 anos de funcionamento do projeto, mais de 800 Salas de Leitura foram implantadas em 24 estados brasileiros, democratizando o acesso ao livro em regiões que não dispunham de bibliotecas.

O projeto Sala de Leitura está em total sintonia com a Política Nacional de Leitura e da Escrita, sancionada em 12 de julho de 2018, que reconheceu a leitura e a escrita como direitos humanos fundamentais. O projeto também se alinha com diversos ODS –Objetivos do Desenvolvimento Sustentável preconizados pela ONU e se insere no conceito proposto pelo australiano Jon Hawkes, que considera a cultura como o quarto pilar da sustentabilidade.

Certificado por meio da Lei Rouanet, mecanismo federal de incentivo fiscal à cultura, o projeto já beneficiou centenas de comunidades brasileiras, que ganharam em cada biblioteca instalada um polo cultural dinâmico e de fácil viabilização.

A proposta é facilitada por meio da construção de parcerias com Secretarias de Educação, de Cultura ou de Assistência Social e a iniciativa privada, sempre objetivando a difusão do livro em território nacional.

O grande benefício sociocultural do projeto é o fortalecimento do binômio escola/comunidade, como estratégia de promoção da interação entre professores, estudantes, familiares e moradores do entorno de cada instituição beneficiada.

Os Agentes de Leitura capacitados pelo projeto se empenham no sentido de que usuários desses espaços se sintam integrados às bibliotecas e se apropriem do território cultural como sendo seu. A biblioteca procura criar laços de pertencimento e de valorização da comunidade que ali se constrói no dia a dia.

Nesta perspectiva, o livro se transforma em um dinâmico instrumento de criação de sinergia entre escola e sociedade, difundindo cultura, conhecimento e informações qualificadas, fatores que contribuem de forma efetiva para o aperfeiçoamento profissional e a conquista de melhores condições de vida para os brasileiros.